Header Ads

test

Ibope: Bolsonaro amplia vantagem e tem mais do dobro dos pontos do segundo colocado


Jair Bolsonaro lidera com folga a corrida presidencial (Foto: Reprodução)
O Ibope divulgou nesta terça-feira, 11, os números da mais recente pesquisa de intenção de voto para presidente da República. O candidato Jair Bolsonaro (PSL) lidera, com 26%, seguido de Ciro Gomes (PDT), com 11%, Marina Silva (Rede), com 9%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 9%, e Fernando Haddad (PT), com 8%.
A pesquisa foi feita entre os dias 8 e 10 de setembro, após o atentado contra Bolsonaro, e antes da definição de Fernando Haddad no lugar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato a presidente pelo PT, que foi anunciada nesta terça-feira.
Veja os números:
Jair Bolsonaro (PSL): 26%
Ciro Gomes (PDT): 11%
Marina Silva (Rede): 9%
Geraldo Alckmin (PSDB): 9%
Fernando Haddad (PT): 8%
Alvaro Dias (Podemos): 3%
João Amoêdo (Novo): 3%
Henrique Meirelles (MDB): 3%
Vera (PSTU): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 1%
Guilherme Boulos (PSOL): 0%
João Goulart Filho (PPL): %
Eymael (DC): 0%
Branco/nulos: 19%
Não sabe/não respondeu: 7%
Depois do atentado em Juiz de Fora (MG), Bolsonaro subiu quatro pontos nas intenções de voto. Na pesquisa anterior, do dia 5 de setembro, tinha 22%. Ciro Gomes teve oscilação de um ponto para baixo em relação ao último levantamento; e Marina Silva caiu três pontos. Geraldo Alckmin manteve o porcentual da pesquisa anterior. Já Haddad oscilou dois pontos para cima.
Bolsonaro foi atacado na última quinta-feira, 6, enquanto participava de uma caminhada em Juiz de Fora (MG). Os entrevistadores do Ibope foram a campo no período que coincidiu com um aumento expressivo da exposição do candidato do PSL nos meios de comunicação.
O levantamento também captou os efeitos de pouco mais de uma semana de exibição do horário eleitoral gratuito. Apesar de ser o detentor de quase metade do tempo de propaganda no rádio e na TV, Alckmin não cresceu em comparação com a pesquisa anterior.
Na intenção de voto espontânea, em que os entrevistadores não apresentam a opção de nomes dos candidatos, Bolsonaro aparece com 23%, subindo seis pontos em relação à última pesquisa. Lula foi citado por 15% dos entrevistados, uma queda de sete pontos em comparação ao dia 5 de setembro. Ciro aparece com 5%, Haddad, 4%, Alckmin, 4% e Marina, 3%. Amoêdo tem 2% das intenções de voto; Alvaro Dias e Henrique Meirelles têm 1%. Outros candidatos não pontuaram; 18% dos entrevistados disseram que votariam em branco ou nulo e 21% não souberam responder ou preferiram não opinar.
Rejeição
A rejeição de Bolsonaro caiu três pontos porcentuais em relação à última pesquisa e está em 41%. Marina oscilou negativamente dois pontos e registra 24% de rejeição (ela tinha 26%). A rejeição a Ciro caiu três pontos, de 20% para 17%. Haddad manteve o mesmo patamar, com 23%. Alckmin teve queda de três pontos porcentuais, de 22% para 19%. Henrique Meirelles, Cabo Daciolo, Eymael, Guilherme Boulos e Vera apresentaram o mesmo porcentual: 11%. Empatados tecnicamente com estes candidatos aparecem João Amoêdo (10%) e Álvaro Dias (9%). João Goulart Filho tem 8% de rejeição. Os eleitores que poderiam votar em todos candidatos somaram 2%; não souberam ou preferiram não opinar, 11%.
Bolsonaro: 41%
Marina: 24%
Haddad: 23%
Alckmin: 19%
Ciro: 17%
Meirelles: 11’%
Cabo Daciolo: 11%
Eymael: 11%
Boulos: 11%
Vera: 11%
Amoêdo: 10%
Alvaro Dias: 9%
João Goulart Filho: 8%
Poderia votar em todos: 2%
Não sabe/não respondeu: 11%
Segundo turno
Nas simulações de segundo turno, Bolsonaro perderia para Ciro Gomes e Alckmin, empataria com Marina e ganharia de Haddad:
Ciro 40% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 18%; não sabe/não respondeu: 4%)
Alckmin 38% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 21%; não sabe/não respondeu: 4%)
Bolsonaro 38% x 38% Marina (branco/nulo: 20%; não sabe/não respondeu: 4%)
Haddad 36% x 40% Bolsonaro (branco/nulo: 19%; não sabe/não respondeu: 5%)
A pesquisa foi realizada entre os dias 8 e 10 de setembro. Foram realizadas 2.002 entrevistas com eleitores de 145 cidades. A margem de erro estimada é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral. A pesquisa foi contratada por IBOPE Inteligência Pesquisa e Consultoria LTDA e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR05221/2018. (Com informações Jornal do Brasil).