Header Ads

Areia Branca sediará Festival do Atum do Rio Grande do Norte de 14 a 16 de novembro



“De Areia Branca Para o Mundo”. Com esse lema, acontece a segunda edição do Festival do Atum (antes Festival Gastronômico do Atum), marcado para acontecer entre os dias 14 a 16 do mês de novembro na cidade. O Rio Grande do Norte é o maior produtor de atum do Nordeste, concentrando cerca de 70% do fornecimento regional da região — onde destes, 60% é produção de Areia Branca, segundo dados da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN). A pesca comercial do atum é um negócio que movimenta mais de 270 milhões de dólares em todo o Brasil, produzindo cerca de 50 mil toneladas por ano.

"Nossa expectativa com a realização da segunda edição do Festival do Atum em Areia Branca, é a melhor possível! Além do incentivo à atividade e estímulo ao consumo interno, consolidamos nossa cidade como uma referência nacional e internacional na produção do peixe que hoje é o mais procurado do planeta, fortalecendo assim nossa economia e turismo”, disse a prefeita Iraneide Rebouças. A Prefeitura Municipal da cidade tem trabalhado diretamente com o setor atuneiro para proporcionar um grande evento para a população. Em três dias de Festival, o município contará com uma exibição gastronômica baseada no pescado, além de palestras e rodas de negócio para pescadores da região, sem falar na programação cultural especial desenvolvida para o evento, com shows e outras atrações. “Como diz o slogan do Festival, é De Areia Branca Para o Mundo!”, finalizou a prefeita.

A pesca do atum encontrou o cenário perfeito em Areia Branca, e não foi por acaso. A cidade se posiciona num ponto ideal de captura e distribuição no estado, sem falar na sua proximidade com áreas de cardumes, facilitando a pesca. Para se ter ideia, um barco que sai de Areia Branca alcança esses locais com até 200 milhas de viagem, enquanto outras embarcações provenientes de outros países podem viajar até mais de 2.000 milhas em busca do peixe. A atividade já gerou mais de quatro mil empregos diretos e indiretos na cidade, como também passou por uma multiplicação na sua frota pesqueira — passando de sete para 63 barcos, num período de cinco anos. Dada a rápida expansão do setor na cidade, o poder municipal passou a se envolver, e usar o atum como uma das pilastras da economia na cidade. Outro atestado da importância da cidade para a cultura atuneira foi a realização da Comissão Permanente de Gestão de Atuns e Afins, a CPG do Atum, no mês de maio, onde o desenvolvimento econômico, social e ambiental da cidade foi discutido com poder municipal, empresários da pesca e população.

Em novembro de 2018, Areia Branca realizou o seu 1º Festival Gastronômico do Atum, que contou com extensa programação técnica, científica, apresentações culturais e artísticas e, principalmente, um enfoque na gastronomia, envolvendo chefs e restaurantes de toda a cidade e região, durante quatro dias. A aclamação do evento originou o Festival do Atum do Rio Grande do Norte, desenvolvido junto ao Governo do estado, que neste ano contará com algumas novidades, como uma ampla feira de negócios do setor, apresentação e contratação de rede de investimentos, e shows com artistas nacionais, além de estimular a participação da cidade, da população e da região com a atividade. Nos próximos dias, é esperada a divulgação da programação cultural completa, onde artistas nacionais se juntarão a artistas da cidade e da região para promover um grande espetáculo. Uma das atrações já confirmadas para o evento é o cantor pernambucano Geraldo Azevedo, conhecido pela mistura de ritmos nordestinos em suas apresentações.

A sazonalidade do evento não significa que a atenção dada ao atum tenha data de validade até o fim do festival. Todas essas atividades são parte da iniciativa da consolidação do pescado como um símbolo exponencial da economia de Areia Branca, buscando atrair recursos e benefícios para o município, na forma do crescimento do comércio e da indústria. “Se nós temos 60% de 70% do pescado do estado, devemos investir para que isso aconteça na nossa cidade. É isso que vai gerar emprego, renda e fazer o dinheiro circular aqui dentro”, defendeu a prefeita.