Header Ads

PGR arquiva pedidos de investigação contra o presidente Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução/Agência Brasília)
A Procuradoria-Geral da República (PGR) arquivou nesta terça-feira, 7, seis representações apresentadas contra o presidente Jair Bolsonaro acusando-o de cometer crimes ao realizar pronunciamentos e ações contrários ao isolamento social recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde.
Em sua avaliação, o vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques, afirmou que a conduta de Bolsonaro não caracteriza o crime de infração de medida sanitária preventiva porque “não havia uma ordem dessa natureza (medida sanitária) em vigor” e porque ele não estava diagnosticado com coronavírus – na avaliação da PGR, esse delito só estaria configurado caso ele tivesse risco de disseminar o vírus para outras pessoas ao realizar essas saídas.
O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), havia solicitado um posicionamento da PGR a respeito das representações. Com a manifestação, a PGR informou ao ministro que não detectou crimes e que arquivou os pedidos de investigação. A praxe no STF é que, quando o PGR realiza o arquivamento, o ministro mantém esse entendimento, porque o procurador-geral da República é o único titular de ações penais perante a Corte.
As representações criminais ficaram sob responsabilidade de Jacques porque, sob delegação do procurador-geral da República Augusto Aras, o vice-PGR é responsável por analisar casos criminais que não façam parte da Lava-Jato. (Com informações O Globo).